Elias Aranha

Colíder a cidade e sua formação histórica

Textos

BONS PAIS E FILHOS DIFÍCEIS

*Elias Alves Aranha

Segundo o Pe. Vargas, os  fatores que levam a criança  à rebeldia pode ter soluções. Adágios assinalam que "Tal pai, tal filho", más, "Toda regra tem exceções". De bons pais, podem gerar filhos bons, bem formados e educados, mas, em alguns casos esta regra acaba desabando, quando os filhos são desobediente.

Podem ocorrer com nossos líderes, gestores maus que tem filhos justiceiros e sensatos e líderes justos que tem filhos abusados e prepotentes. São várias as causas possíveis deste fenômeno: Fato é que chefes de família, honradas, honestas, podem, ser péssimos educadores ou formadores (que não seja a propósito). É difícil transmitir valores, virtudes e códigos de conduta, e às vezes o bom exemplo não basta. Crianças  que manifestam comportamentos difíceis, são facilmente reconhecíveis desde o seu nascimento. Ainda bebês, costumam acordar muitas vezes durante a noite, chorando muito. Também, ocorrer de não terem moderação: vão de um extremo ao outro. Suas alegrias são extravasantes, más, de repente, ficam bravos e são impossível de controlar seu enfurecimento.

Cada filho ocupa um lugar diferente na realidade familiar e mantém relações diferentes com cada integrante. Não é a mesma coisa ser o primeiro, segundo ou caçula, porque as circunstâncias de uma família mudam constantemente. A rebeldia começa na infância, quando os pais comemoram algumas atitudes, equivocados, levando a criança a pensar que está fazendo é o certo. Aí os pais acabam manifestando, ainda que precipitado, preferência por algum dos filhos, o que pode gerar ciúme, inconformismo ou agressividade.

Ainda que não haja preferências por parte dos pais, um dos filhos acaba mal interpretando certas situações como oposição a ele, o que gera más reações. Muitas vezes os pais não sabem lidar com os primeiros impulsos infantis, e acabam querendo agradar os filhos. Se a criança não for corrigida e não assimilar a educação recebida, vai crescer mimada. Há pais que só prestam atenção no erro dos filhos, dando broncas o dia todo, jogando na cara o que fizeram de ruim.  gerando baixa autoestima e rancor nas crianças.
  
Além dos próprios irmãos outros fatores estão nos colegas, que ficam apontando os defeitos da criança. Ela vai se fechando em um comportamento negativo. Em outros casos, o rebelde é o filho do meio, que não tem as responsabilidades do mais velho, nem toda a atenção do filho mais novo (adulado pelos pais), acaba crescendo rancoroso. Muitos pais impõem regras rígidas, mas isso é errado. Pais rígidos criam filhos retraídos e amedrontados, ou desrespeitosos e rebeldes, difíceis e com reflexo de anomalias familiares.
Elias Aranha
Enviado por Elias Aranha em 28/02/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras